A antropóloga Sofia Sampaio foi uma das escolhidas para Professora Visitante no reputado Departamento de Estudos Portugueses e Brasileiros da Universidade de Brown, e estará em Rhode Island no semestre da primavera de 2021 para mostrar aos alunos de Brown o ‘lado oculto’ da história do cinema português.

A investigadora do Centro em Rede de Investigação em Antropologia – CRIA tem dedicado os últimos anos a trabalhar com filmes menos conhecidos e mais curtos, que constam da base de dados do Arquivo Nacional das Imagens em Movimento.

Nesses filmes de não ficção – documentários institucionais, cinejornais, filmes de família ou fragmentos de 10 a 20 minutos –, a investigadora encontrou histórias alternativas do cinema português, que agora quer mostrar em Brown.

“O trabalho que desenvolvo é ir buscar essa produção mais regular, banal, mesmo promocional ou institucional, que serviam para promover uma indústria, uma região de turismo por exemplo, ou filmes que as famílias faziam no seu quotidiano nos momentos de festejo e celebração, como o nascimento dos filhos, e que ainda hoje usamos e a partir de aí tentar ver o contexto histórico, mas a partir de outros olhares, que não são os olhares que foram feitos para estar no centro”.

Nestes filmes, Sofia Sampaio encontrou histórias diferentes do cinema português e da sociedade portuguesa, não apenas de sucesso como foi o caso dos grandes realizadores, contadas de forma diferente com ligação ao Brasil e através de uma perspetiva feminina.

“A história do cinema português e outros cinemas nacionais até ao momento tem sido contada do ponto de vista das grandes ficções narrativas, dos grandes autores e de meia dúzia de cineastas que se foram destacando ao longo das décadas. Nenhuma indústria pode sobreviver à base de três ou quatro filmes de ficção que saíam por ano, ou nem isso”.

O trabalho de Sofia Sampaio ajuda a complementar a história que esses filmes mais conhecidos contam.

A investigadora enalteceu ainda a oportunidade de voltar a dar aulas, algo que não faz há cerca de uma década, e numa das mais reputadas universidades norte-americanas, assim como o acesso a colegas e recursos em Brown.

“É uma oportunidade de trabalhar com colegas, investigadores e docentes, que terão trabalhos que com certeza me irão interessar também, com os quais eu quero colaborar, uma oportunidade de beneficiar das bibliotecas e onde encontrarei decerto um ambiente estimulante para realizar o meu trabalho”.

Muitos parabéns Prof. Sofia Sampaio!

Qual é o lado “oculto” do Cinema Português?

Venha conhecer todos os detalhes sobre as histórias, que a Prof. Sofia Sampaio, tem encontrado sobre o cinema português.