Todos os dias trabalhamos para promover o desenvolvimento de Portugal através da cooperação bilateral com os Estados Unidos da América. E, é assumindo sempre esta missão que a FLAD se constitui como uma ponte entre os dois países, um recurso de excelência junto dos que procuram e oferecem oportunidades nos EUA, em diferentes áreas.

Ao celebrar os nossos 35 anos, queremos que a FLAD esteja envolvida em projetos de valor incontestável e seja reconhecida como uma instituição acessível, humana e moderna, que premeia o mérito e a criação de valor.

Com foco em quatro grandes áreas – Ciência e Tecnologia, Educação, Arte e Cultura e Relações Transatlânticas -, a FLAD quer abrir caminho ao potencial científico, académico e artístico português, fortalecer as comunidades luso-americanas e aproximar pessoas e instituições entre os dois lados do Atlântico.

E, claro, além das nossas bolsas, programas e concursos regulares, é muito importante para nós contar com as vossas ideias e projetos, enquadrados nesta relação promissora entre Portugal e os Estados Unidos da América, em que os Açores têm um papel especial.

Junte-se a nós!

A FLAD é, na prática, o resultado da forte relação entre Portugal e os Estados Unidos da América.

Aliados de longa data, os dois países mantêm há muito uma relação próxima, que ganhou intensidade após a II Guerra Mundial: com a adesão de Portugal ao Plano Marshall e OECE, em 1948, e a sua inclusão na NATO, em 1949, juntamente com o amplo programa de ajuda económica concedido a Portugal para a consolidação democrática, após o 25 de abril de 1974.

Mas um dos momentos mais marcantes para o início da FLAD foi o Acordo de Cooperação e Defesa entre Portugal e os Estados Unidos da América, em 1983. Nele, o governo português aceitou as facilidades militares pretendidas pelo governo norte-americano, como a continuação da permanência norte-americana na base das Lajes, até 1991. Em contrapartida, os EUA concordaram em conceder um conjunto de apoios (militar, económico e energético), entre os quais estava a criação da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento.

A formalização da criação da FLAD deu-se a 20 de Maio de 1985, com a aprovação do decreto-lei nº. 168/85. A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento constituiu-se assim como uma instituição portuguesa, financeiramente autónoma e privada, destinada a contribuir para o desenvolvimento nacional, através da promoção da cooperação científica, técnica, cultural, educativa, comercial e empresarial, entre os dois países.

Nessa data, a FLAD foi dotada com um capital de 85 milhões de euros. A gestão deste endowment permite o exercício autónomo da missão da FLAD, para o qual também contribuem outras receitas decorrentes das atividades estatutárias.

Membro das principais redes nacionais e internacionais de fundações (o Centro Português de Fundações (CPF), o Centro Europeu de Fundações (EFC), a FLAD é reconhecida como uma das mais importantes fundações portuguesas. Há quase 35 anos que abre as portas dos Estados Unidos, desenvolvendo Portugal, os portugueses e os luso-descendentes, em parceria com instituições de referência, apoiando a concretização de projetos de valor reconhecido.

Depois de, em 2019, a FLAD ter passado por uma redefinição de áreas prioritárias e uma reorganização interna, toda a estratégia para os próximos anos foi desenvolvida considerando sempre um grande objetivo: fortalecer a presença de Portugal nos EUA, criando oportunidades que permitam desenvolver pessoas e instituições nacionais.

Para alcançar este objetivo, acreditamos que é determinante:

  • Procurar ativamente trabalhar em rede com outras fundações e instituições de referência;
  • Premiar o mérito e a inovação;
  • Potenciar a mobilidade entre os dois países, dando a conhecer Portugal, a sua cultura e instituições;
  • Ajudar a comunidade luso-descendente a ter maior representatividade, e assim defender melhor os seus interesses;
  • Desenvolver projetos de cidadania e responsabilidade social, ancoradas na nossa missão.

Sabemos também que a concretização da estratégia da Fundação só é possível se a estrutura interna da FLAD estiver preparada para a cumprir. Temos uma equipa experiente e focada, organizada e adaptada às necessidades atuais.

Temos na nossa equipa pessoas que trabalham na FLAD desde o dia em que foi criada, mas também estagiários que acabam de chegar ao mercado de trabalho. Temos profissionais que vieram do setor privado, do mundo académico e da área de investimentos. É nesta variedade de perfis e experiências que encontramos uma das nossas maiores forças.

Os próximos anos da FLAD serão anos de celebração do seu legado e de abertura a um futuro promissor. Haverá reforço dos projetos de bandeira e criação de novos programas e prémios que celebram o mérito e a criação de valor.

Sempre com o olhar sobre o Atlântico e os Açores como um ponto de referência da nossa estratégia, queremos que a FLAD continue a romper barreiras e dinamizar ideias que mostram o que Portugal tem de melhor.