Notícias sobre Ciência nos Estados Unidos

Leia as novidades semanais sobre a ciência nos Estados Unidos

Leia as novidades semanais sobre a ciência nos Estados Unidos

Sabia que um grupo de investigadores dos EUA e do Ruanda criaram um gadget para smartphone, de custo barato e fácil de usar, que permite diagnosticar uma multiplicidade de doenças infecciosas mortais em pacientes num espaço de 15 minutos? Esta e outras notícias na newsletter semanal da FLAD, agora sobre notícias da Ciência norte-americana.

FACEBOOK E LINKEDIN JUNTAS PARA PROMOVER O ESTUDO DA TECNOLOGIA ENTRE MULHERES

As empresas Facebook e LinkedIn pretendem aumentar o cada vez menor número de mulheres em cursos relacionados com engenharia e ciências computacionais. As duas empresas anunciaram que irão introduzir programas de tutoria e de apoio nas universidades com o fim de envolver mais mulheres no campo do estudo da tecnologia.

PARA LER MAIS: “Facebook, LinkedIn join to boost women studying computer science, engineering” (Associated Press via U.S. News and World Report).

 

A CIÊNCIA REÚNE-SE COM A SOCIEDADE EM SAN JOSE, EUA

Entre 12 e 16 de Fevereiro mais de três mil cientistas irão reunir-se no San Jose McEnery Convention Center para o encontro anual da American Association for the Advancement of Scientists. Estes cientistas, cujo trabalho inclui alguns dos maiores problemas e questões dos dias de hoje, terão a oportunidade de contactar com colegas, mas também interagir com o público, educadores e imprensa.

PARA LER MAIS: “At AAAS conference in San Jose, science to meet society” (San Jose Mercury News).

 

EMPRESAS NORTE-AMERICANAS ESTÃO A INVESTIR MENOS NA CIÊNCIA

Um novo estudo conclui que desde a década de 1980 as grandes empresas norte-americanas têm vindo a centrar cada vez menos atenção na investigação científica básica. Hoje em dia essas empresas focam cada vez mais recursos em investigação e desenvolvimento (I&D). Tal tendência poderá ter grandes implicações para o futuro da inovação e do crescimento económico, nomeadamente tendo em conta que o governo dos EUA tem investido menos em I&D nos últimos anos.

PARA LER MAIS: “American companies are investing way less in science than they used to” (Vox).

 

OPINIÃO PÚBLICA DIFERE DA OPINIÃO CIENTÍFICA

Um novo estudo sugere que existe uma vasta diferença de opiniões entre cientistas e o público acerca de várias questões, nomeadamente o uso de alimentos geneticamente modificados e as causas das alterações climáticas. Ainda de acordo com este trabalho, o público é mais optimista em relação ao futuro da ciência do que aqueles que trabalham na área da investigação científica.

PARA LER MAIS: “From GMOs to Climate, Public Disagrees with Scientists” (Live Science).

 

ORÇAMENTO DE OBAMA BENEFICIARÁ CONSIDERAVELMENTE A CIÊNCIA

O orçamento fiscal do presidente Obama para 2015, proposto a 2 de Fevereiro, inclui 146 mil milhões de dólares para a investigação e desenvolvimento científico, perfazendo um aumento de 6% em comparação com 2014. O orçamento terá no entanto de ser aprovado pelo Congresso.

PARA LER MAIS: “Obama budget seeks big boost for science” (Nature).

 

O DEBATE SOBRE AS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS NOS EUA É DOMINADO POR EMOÇÕES E NÃO PELA CIÊNCIA

Um novo estudo diz que, apesar do consenso científico de que a actividade humana está por detrás do aquecimento global, o facto de algumas das atitudes dos norte-americanos estarem já profundamente enraizadas torna improvável que se proceda a mudanças nas políticas ambientais. O estudo recomenda que se melhore o diálogo entre aqueles que acreditam veemente na actividade humana como causa do aquecimento global e os cépticos.

PARA LER MAIS: “Emotions, not science, rule U.S. climate change debate: study” (Reuters).

 

CIENTISTAS IDOSOS TRABALHAM PARA ENVIAR HUMANOS A MARTE

A NASA concedeu 30 milhões de dólares a um grupo de cientistas veteranos para um projecto que visa construir uma máquina geradora de oxigénio que irá ser colocada a bordo do rover não tripulado Mars 2020. Esta será a primeira versão de uma tecnologia que irá permitir que a próxima geração de exploradores do espaço respire e queime combustível em Marte. O projecto permitirá também que as naves espaciais em Marte possam regressar ao planeta Terra.

PARA LER MAIS: “Elder scientists work to send humans to Mars” (The Boston Globe).

 

NASA LANÇA SATÉLITE REVOLUCIONÁRIO PARA O ESPAÇO

A NASA lançou a 31 de Janeiro de 2015 um satélite com a missão de tirar medições da humidade no solo da superfície terrestre e dos estados de congelamento/descongelamento. Esta missão irá revolucionar o nosso entendimento sobre os ciclos da água, da energia e do carbono por detrás de toda a vida na Terra, bem como contribuir para as previsões meteorológicas e melhorar os modelos sobre as alterações climáticas.

PARA LER MAIS: “NASA Launches Revolutionary Earth Science Satellite Measuring Soil Moisture Cycle” (Universe Today).

 

PEQUENOS PLANETAS FORA DO SISTEMA SOLAR PODERÃO TORNAR-SE HABITÁVEIS

De acordo com um novo estudo, um pequeno planeta gasoso que se dirige para o nosso sistema solar poderá transformar-se num mundo rochoso carregado de água e outras riquezas. Este processo pode dar origem a mundos habitáveis que, de outro modo, seriam estéreis e secos. Esta conclusão foi alcançada através de simulações feitas em computador por um astrónomo norte-americano e colegas.

PARA LER MAIS: “Neptune-like worlds could become habitable” (Science News).

 

INVESTIGADORES DESCOBREM RÉPLICA DO NOSSO SISTEMA SOLAR

Uma equipa de investigadores descobriu um sistema solar semelhante à Via Láctea, mas sete mil milhões de anos mais velho. A descoberta foi feita através do uso de imagens e dados captados pela nave espacial Kepler, da NASA. Boas notícias para aqueles que procuram por vida extraterrestre.

PARA LER MAIS: “Researchers Discover An Ancient Replica Of Our Solar System” (Popular Science).

 

OFICIAL: 2014 FOI O ANO MAIS QUENTE

A NASA e a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA anunciaram que as temperaturas globais atingiram, no ano passado, o nível mais alto nos tempos modernos. A conclusão teve como base registos desde o final do século XIX. Motivadas em parte pelo aquecimento dos oceanos, as temperaturas médias ultrapassaram os recordes de 2005 e 2010. Os dez anos mais quentes dos tempos modernos ocorreram desde 1997.

PARA LER MAIS: “It’s official: 2014 was the hottest year” (The Washington Post).

 

CIENTISTAS ASSOCIAM ERUPÇÕES SUBAQUÁTICAS ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

Dois novos estudos sugerem que as idades do gelo influenciam erupções vulcânicas subaquáticas. Sendo que as cadeias vulcânicas abrangem quase 60 mil quilómetros do fundo dos oceanos, os autores do estudo afirmam que as erupções vulcânicas são capazes de produzir dióxido de carbono suficiente para mudar as temperaturas do planeta.

PARA LER MAIS: “Scientists Link Underwater Eruptions to Climate Change” (NBC News).

 

CIENTISTAS DETERMINAM QUE EXISTE VIDA NAS PROFUNDEZAS DO PLANETA

Investigadores da Universidade de Yale acreditam que possa existir vida nas profundezas da Terra. Esta possibilidade muda não só o que nós sabemos sobre a vida, mas também a forma como poderemos procurar por vida noutros planetas. Os cientistas encontraram provas da existência de uma bactéria que vive a cerca de 20 quilómetros da superfície terrestre, sendo esta a primeira forma de vida do género a ser encontrada.

PARA LER MAIS: “Scientists Determine That Life Exists Deep Beneath Earth’s Surface” (Tech Times).

 

PARTES DOS EUA ATINGIDAS POR MISTERIOSA CHUVA COM CINZA

Foi registada a presença de uma misteriosa substância na pluviosidade que caiu em Washington e no estado do Oregon. A origem da substância, que se assemelha a cinza com um aspecto leitoso, não é ainda clara. De acordo com os especialistas, a mesma poderá ter origem nas recentes erupções vulcânicas no México e na Rússia.

PARA LER MAIS: “Parts of Washington and Oregon Covered with Mysterious Milky Ash” (Daily Science Journal).

 

OXIGÉNIO É O PONTO FRACO DO TITÂNIO

Cientistas da Universidade da Califórnia descobriram o mecanismo através do qual o titânio se torna frágil. Aquele que é um dos materiais mais resistentes provou ser vulnerável a alguns átomos extra de oxigénio. A descoberta tem o potencial de abrir a porta a usos mais práticos e eficientes do titânio num leque mais vasto de aplicações.

PARA LER MAIS: “Oxygen is like kryptonite to titanium” (Science Codex).

 

TÉRMITAS PODEM ABRANDAR O IMPACTO DA DESERTIFICAÇÃO

Um novo estudo mostra que o impacto ecológico das térmitas poderá ser útil no combate à desertificação. Em particular, a presença dos ninhos das térmitas pode ter um papel importante no abrandamento dos efeitos da desertificação dos solos, já que constituem uma fonte constante de nutrientes, dos quais a vegetação de alimenta.

PARA LER MAIS: “Termites might slow down impact of desertification” (Science Recorder).

 

PIONEIRO DA DISTRIBUIÇÃO DE DROGAS RECEBE PRÉMIO DE UM MILHÃO DE LIBRAS

O professor norte-americano Robert Langer, do Massachusetts Institute of Technology, foi galardoado com o Queen Elizabeth Prize, avaliado em um milhão de libras, pelo desenvolvimento de sistemas de distribuição de drogas, engenharia de tecidos e implantes de microchips. Estima-se que cerca de dois mil milhões de pessoas tenham já tido contacto com tecnologias desenvolvidas por Langer e a sua equipa.

PARA LER MAIS: “Drug-delivery pioneer wins £1m engineering prize” (BBC).

 

CIENTISTAS DESCOBREM FORMA DE CONTER ORGANISMOS MODIFICADOS

Dois grupos de cientistas norte-americanos afirmam ter desenvolvido uma técnica complexa que visa prevenir que bactérias geneticamente modificadas escapem do laboratório e causem assim doenças ou destruição ecológica. Os cientistas atribuíram um código genético único e exclusivo a um tipo comum de bactéria, o que a torna dependente de aminoácidos não naturais existentes apenas no laboratório. Sem esses aminoácidos, as bactérias morrerão.

PARA LER MAIS: “Scientists Work to Contain Modified Organisms to Labs” (The New York Times).

 

SMARTPHONES JÁ PODEM SER CLINICAS MÉDICAS MÓVEIS

Um grupo de investigadores dos EUA e do Ruanda criaram um gadget para smartphone, de custo barato e fácil de usar, que permite diagnosticar uma multiplicidade de doenças infecciosas mortais em pacientes num espaço de 15 minutos. O dispositivo tem uma funcionalidade que pica o dedo e extrai uma pequena quantidade de sangue, o qual é de seguida avaliado pelo sistema.

PARA LER MAIS: “Lab on a chip turns smart phones into mobile disease clinics” (Science).

 

CÉLULAS ESTAMINAIS RESTAURAM APRENDIZAGEM E MEMÓRIA EM RATOS

Um grupo de investigadores de instituições nos EUA e no Canadá concluíram que as células estaminais podem ajudar a curar danos cerebrais de longo prazo sofridos por ratos expostos a radiação. O tratamento permite ao cérebro reconstruir o isolamento nas suas células nervosas, de forma a que consigam uma vez mais transportar mensagens. O uso desta técnica em seres humanos poderá representar um passo importante em direcção ao tratamento de lesões cerebrais causadas por radiação.

PARA LER MAIS: “Shots of brain cells restore learning, memory in rats” (Science News).

 

CROMOSSOMA DESFEITO CURA DOENÇA IMUNE NUMA MULHER

Uma rapariga de Cincinatti, no estado do Ohio, que cresceu com uma doença genética grave parece ter sido curada por um dos seus cromossomas que se desfez em pedaços e se reagrupou. Cientistas acreditam que a melhoria do seu estado se deveu à remoção de um gene nocivo através desta renovação do ADN numa das células estaminais do sangue. Este é um fenómeno recentemente identificado e que até agora estava apenas relacionado com cancros.

PARA LER MAIS: “Shattered chromosome cures woman of immune disease” (Science).

 

O SEGREDO DA VIDA ETERNA ESTARÁ NOS CROMOSSOMAS

O segredo para a vida eterna poderá ser um processo de alongamento dos cromossomas. Este procedimento permitiria aos cientistas alongar os telómeros, as capas de protecção localizadas nos cromossomas e que se tornam mais curtas com a idade. Tal impedirá a deterioração dos cromossomas, um factor considerado fundamental no processo de envelhecimento.

PARA LER MAIS: “Eternal life could be achieved by procedure to lengthen chromosomes” (The Independent).

 

COMO “DESCOZER” UM OVO COZIDO?

Um novo estudo elaborado por cientistas da Universidade da Califórnia, em Irvine, mostra uma maneira de devolver um ovo cozido ao seu estado original. Quando se coze um ovo, o calor faz com que as proteínas na clara do ovo se conglomerem, resultando na sua solidificação. A descoberta consiste na reversão do processo de conglomeração através da adição de químicos ao ovo cozido.

PARA LER MAIS: “Scientists Figure Out How To Unboil Eggs” (Popular Science).

 

FUMO DE INCÊNDIOS PODE INTENSIFICAR TORNADOS

Um novo estudo concluiu que a intensidade dos tornados nas tempestades de 2011, nos EUA, poderá ter beneficiado de um ingrediente adicional: o fumo. O fumo comporta-se como um aerossol, sendo constituído por partículas suspensas no ar, as quais conseguem reflectir e absorver a luz do sol e também influenciar o tamanho das nuvens. No caso de 2011, a interacção do fumo com a tempestade não só fez com as nuvens se situassem mais perto do solo, como aumentou os ventos cruzados, os quais podem ser devastadores.

PARA LER MAIS: “Smoke From Wildfires Could Intensify Tornadoes” (Popular Science).