Notícias de Economia nos Estados Unidos

Leia as notícias sobre o estado da Economia nos Estados Unidos

Leia as notícias sobre o estado da Economia nos Estados Unidos

ECONOMIA NORTE-AMERICANA SUPERA EXPECTATIVAS NO SEGUNDO TRIMESTRE

De acordo com a revisão final dos dados económicos dos EUA, o PIB registou um crescimento de 3,9% no segundo trimestre de 2015, superando a estimativa anterior de 3,7%. Esta expansão da economia dos EUA foi alicerçada em maiores gastos com o consumo, nomeadamente nos serviços relacionados com a saúde e transportes, e no sector da construção.

PARA LER MAIS:US final Q2 gross domestic product 3.9% vs 3.7% expected” (Reuters via CNBC).

 
MOODY’S MANTEM CLASSIFICAÇÃO DOS EUA MAS EMITE AVISOS

A agência de notação financeira Moody’s afirmou que manterá a classificação AAA dos EUA, advertindo no entanto para a ameaça representada por contendas partidárias, dando o exemplo da quase paralisação do governo no início de Outubro de 2015 como um desenvolvimento potencialmente disruptivo e que poderá ter impacto na classificação. A agência referiu-se ainda a outras ameaças de longo prazo, como os gastos com programas sociais.

PARA LER MAIS:Moody’s Backs Triple-A Rating on U.S. But Warns on Social Spending” (The Wall Street Journal).

 

PERSPECTIVA DOS NORTE-AMERICANOS SOBRE A ECONOMIA CAI PARA MÍNIMOS DE QUATRO MESES

O indicador semanal que mede as expectativas dos norte-americanos em relação ao estado da economia dos EUA caiu em Setembro de 2015 para o nível mais reduzido dos últimos quatro meses, sendo também o segundo mais baixo desde Novembro de 2015. Para chegar a este resultado, o indicador recolhe opiniões sobre a economia, finanças pessoais e outros elementos considerados relevantes.

PARA LER MAIS: “Americans’ Outlook for U.S. Economy Declines to Four-Month Low” (Bloomberg).

 

QUEBRA NAS EXPORTAÇÕES LEVA A AUMENTO DO DÉFICE COMERCIAL DOS EUA

Dados divulgados pelo Departamento do Comércio mostram que o défice comercial norte-americano aumentou 15,6% em Agosto de 2015, sendo essa a maior expansão em cinco meses. Estes resultados são, em larga medida, motivados pelo impacto da fragilidade da economia global nas exportações e pelo aumento das importações oriundas da China. A informação revela ainda as vulnerabilidades da economia norte-americana em relação a um dólar forte e à fraca procura nos mercados globais.

PARA LER MAIS: “U.S. Trade Deficit Surges as Exports Fall” (Reuters via The New York Times).

 

ECONOMIA NORTE-AMERICANA CRIA APENAS 142 MIL POSTOS DE TRABALHO EM SETEMBRO DE 2015

O número de postos de trabalho criados em Setembro de 2015 diminuiu acentuadamente pelo segundo mês consecutivo. A economia criou 142 mil postos de trabalho, após ter-se registado um número ainda mais pequeno no mês anterior, o que sugere que o ritmo de criação de emprego nos EUA tem sido afectado por preocupações com uma economia global mais fragilizada e por contendas políticas internas em Washington. Por seu turno, a taxa de desemprego manteve-se nos 5,1%.

PARA LER MAIS:U.S. economy creates just 142,000 new jobs in September” (Market Watch).

 

PEDIDOS POR SUBSÍDIO DE DESEMPREGO PERTO DO VALOR MAIS BAIXO DESDE 1973

O número de norte-americanos a pedir subsídio de desemprego pela primeira vez caiu 13 mil para um total de 263 mil na semana que terminou a 3 de Outubro de 2015. Este é um mínimo de 42 semanas, sendo também a 31ª semana consecutiva em que os pedidos por subsídio de desemprego se mantiveram abaixo dos 300 mil, sugerindo que o mercado de trabalho estará a ganhar força.

PARA LER MAIS: “Jobless claims fall to near a 42-year low” (Reuters).

 

EUA ATRÁS DE PAÍSES COMO O CANADÁ E O CHILE EM TERMOS DE LIBERDADE ECONÓMICA

Os EUA caíram para o 16º lugar no ranking anual de liberdade económica elaborado pelo Fraser Institute. Em 2000, os EUA ocupavam a segunda posição, sendo que a tendência de descida no ranking terá sido iniciada em 2010. O estudo abrange 42 variáveis para se aferir o nível de liberdade económica, tal como o tamanho do governo, a estrutura legal e a segurança da propriedade privada.

PARA LER MAIS:U.S. drops to 16th on ‘economic freedom’ list, behind Canada, Chile” (Washington Examiner).

 

QUANTO CONTRIBUI CADA ESTADO PARA A ECONOMIA DOS EUA?

Um novo estudo concluiu que os estados da Califórnia, Texas e Nova Iorque são os que mais contribuem para a economia dos EUA. Por seu turno, os que contribuem menos são os estados do Vermont, Maine, Rhode Island, Dakota do Sul e do Norte, Montana, Wyoming e Alasca, os quais representam no seu conjunto apenas 0,3% da economia norte-americana.

PARA LER MAIS:Here’s How Much Each State Contributes to US Economy” (Voice of America).

 

MAIORES EMPRESAS NOS EUA TERÃO MAIS DE DOIS BILIÕES DE DÓLARES FORA DO PAÍS

De acordo com um novo estudo, as 500 maiores empresas norte-americanas têm mais de 2,1 biliões de dólares de lucros acumulados depositados no estrangeiro, com o objectivo de evitar impostos nos EUA. O estudo estima que esta fuga de capital terá resultado na perda de cerca de 620 mil milhões de dólares em impostos. Foi também concluído que quase três quartos das maiores empresas na Fortune 500 operam subsidiárias em países como as Bermudas, a Irlanda, o Luxemburgo e a Holanda.

PARA LER MAIS:The biggest companies in the US reportedly hold $2.1 trillion overseas to avoid taxes” (Reuters via Business Insider).

 

DELL REALIZA MAIOR NEGÓCIO DE SEMPRE NO SECTOR TECNOLÓGICO

A terceira maior fabricante de computadores, Dell, e a empresa de investimento Silver Lake adquiriram a empresa de armazenamento de dados EMC por cerca de 67 mil milhões de dólares. Este foi o maior negócio de sempre da indústria tecnológica. A combinação da Dell e da EMC dará origem ao novo líder da indústria de tecnologias de informação.

PARA LER MAIS:Dell buys EMC in largest tech deal ever” (USA Today).

 

VICE DO FED APONTA FINAL DO ANO PARA POSSÍVEL AUMENTO DA TAXA DE JURO

O vice-presidente da Reserva Federal norte-americana, Stanley Fischer, afirmou que a economia dos EUA poderá já estar forte o suficiente para merecer um aumento da taxa de juro por volta do final de 2015. Fischer advertiu, no entanto, que essa decisão terá de ter em conta o actual abrandamento na criação de emprego e os desenvolvimentos internacionais.

PARA LER MAIS: “Fed’s Fischer Says Economy May Merit Liftoff Later This Year” (Bloomberg).

 

MAIORIA DOS NOVA-IORQUINOS DEFENDE SALÁRIO MÍNIMO DE 15 DÓLARES POR HORA

Uma nova sondagem realizada pelo Siena College revela que 59% dos nova-iorquinos defende um aumento do salário mínimo no estado de Nova Iorque para 15 dólares por hora, enquanto 38% dos sondados se opuseram a essa hipótese. A sondagem surge após o governador Andrew Cuomo ter apresentado um plano para aumentar o salário mínimo no estado de Nova Iorque, numa altura em que se tem cada vez mais debatido a subida do salário mínimo a nível federal.

PARA LER MAIS: “Majority of New Yorkers back $15 minimum wage” (The Hill).

 

COMPRA DE CASAS NOVAS ATINGEM RITMO MAIS ELEVADO EM SETE ANOS

A venda de casas novas nos EUA aumentou 5,7% durante o mês de Agosto de 2015, perfazendo um total de 552 mil. Este foi o ritmo mais elevado desde Fevereiro de 2008, antes da grande recessão. De acordo com dados revistos pelo governo, esse aumento surge no seguimento de ainda melhores resultados registados durante o mês de Julho, altura em que chegou aos 12%.

PARA LER MAIS:US new-home sales surge to 7-year high” (Chicago Tribune).

 

CÂMARA DOS REPRESENTANTES VOTA PARA AUTORIZAR EXPORTAÇÕES DE PETRÓLEO

A Câmara dos Representantes votou a favor do levantamento da restrição às exportações de petróleo, implementada há 40 anos após o embargo petrolífero imposto pelos países árabes. Esta iniciativa terá agora de passar pelo Senado e pelo Presidente Barack Obama, tornando pouco provável a sua aprovação.

PARA LER MAIS:House Votes to Lift Oil-Export Ban” (The Wall Street Journal).

 

MENOS PLATAFORMAS E MENOR PRODUÇÃO PETROLÍFERA NOS EUA

O número de plataformas de produção petrolífera actualmente activas nos EUA atingiu, na semana de 28 de Setembro a 3 de Outubro de 2015, o número mais baixo desde Maio de 2002. Por outro lado, a tendência de redução no número de plataformas contribuiu para que a actividade petrolífera durante o mês de Setembro tenha atingido um mínimo de cinco anos.

PARA LER MAIS:Producers Reduce U.S. Rigs Drilling for Oil to Five-Year Low” (Bloomberg).

 

ALTICE COMPRA CABLEVISION À MEDIDA QUE SE EXPANDE NOS EUA

A empresa Altice, sediada na Holanda, chegou a acordo para comprar a operadora de TV Cabo norte-americana Cablevision por 17,7 mil milhões de dólares, incluindo a sua dívida. A aquisição da Cablevision faz parte da estratégia de expansão da Altice no mercado dos EUA. A Altice espera concluir o acordo no primeiro semestre de 2016, que tem ainda de ser aprovado pelas autoridades regulatórias norte-americanas.

PARA LER MAIS:Europe’s Altice buying Cablevision as it expands in US” (The Associated Press).

 

CHINA VAI COMPRAR 300 AVIÕES À BOEING

Empresas chinesas chegaram a acordo com a norte-americana Boeing para a aquisição de 300 aviões comerciais e para a construção de uma fábrica de aeronaves na China. Os negócios foram acordados aquando da visita do Presidente Xi Jinping aos EUA, em Setembro de 2015, tendo também sido assinado um entendimento com a empresa para a promoção da cooperação no âmbito da indústria da aviação.

PARA LER MAIS: “China inks deal to buy 300 Boeing jets” (Aljazeera).