Notícias de Economia nos Estados Unidos

Leia as notícias sobre o estado da Economia nos Estados Unidos

Leia as notícias sobre o estado da Economia nos Estados Unidos

A cadeia de televisão britânica BBC obteve acesso a um texto que expõe o que a UE pretende ver excluído do acordo de comércio transatlântico com os EUA (TTIP). Leia o documento na newsletter da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, esta semana dedicada às principais notícias da economia norte-americana.

 

RELATÓRIO DE OBAMA APONTA PARA UM ANO BOM PARA A ECONOMIA

Um relatório da presidência norte-americana dirigido ao Congresso afirmou que as políticas económicas da administração Obama estão a alimentar a recuperação desde o colapso financeiro de 2008, adiantando ainda que novas propostas irão servir para expandir essa tendência. A economia entrou, de acordo com Barack Obama, em mais um ano positivo, o qual terá de continuar a ser sustentado por Washington nos mesmos moldes.

PARA LER MAIS: “Obama report: Economy poised for good year” (USA Today).

 

DÉFICE COMERCIAL DOS EUA AUMENTA 17%

O défice comercial dos EUA atingiu, em Dezembro de 2014, o nível mais alto em mais de dois anos. As exportações registaram uma descida de 0,8% enquanto as importações aumentaram 2,2%. Economistas esperam que o défice continue numa tendência de crescimento ao longo de 2015, em parte porque o crescimento económico dos EUA levará a um aumento de importações, e os fracos níveis de crescimento na maioria das economias mundiais e a valorização do dólar contribuirão para a depressão das exportações.

PARA LER MAIS: “U.S. trade deficit jumps 17% to $46.6 billion” (LA Times).

 

CRESCIMENTO NO QUARTO TRIMESTRE REVISTO PARA NÍVEIS INFERIORES AO INICIALMENTE ESTIMADO

Durante o quarto trimestre de 2014, a economia norte-americana cresceu a um ritmo menor do que o inicialmente esperado, em parte motivado pelas menores reservas de stock das empresas e uma balança comercial menos resiliente. Com uma taxa de crescimento de 2,2% durante o período em questão, este desenvolvimento representa uma forte desaceleração do crescimento se comparado com o valor de 5% registado no terceiro trimestre de 2014.

PARA LER MAIS: “4th-Quarter Growth Revised to 2.2%, Less Than Initial Estimate” (The New York Times).

 

APESAR DO ABRANDAMENTO ECONÓMICO, MERCADO LABORAL NOS EUA MANTÉM-SE FIRME

A tendência de aumento de postos de trabalho nos EUA manteve-se firme em Janeiro de 2015, registando-se também uma recuperação ao nível dos salários. Estes são dados que suportam a ideia de que os consumidores terão músculo suficiente para carregar a economia em tempos difíceis.

PARA LER MAIS: “US jobs market seen firm despite slowing economy” (Reuters via GMA News).

 

ENERGIA SUSTENTÁVEL FAZ PARTE DO FUTURO DOS EUA

Um novo relatório produzido pela Bloomberg afirma que a energia sustentável terá um cada vez maior papel nos EUA. O sector energético dos EUA está a incorrer num processo de descarbonização, em que o gás natural está a substituir o carvão. A produção e consumo de gás natural atingiu níveis recorde em 2014.

PARA LER MAIS: “Sustainable Energy Taking a Larger Role in US Economy” (24/7 Wall St.).

 

CONFIANÇA DOS CONSUMIDORES AMERICANOS ARREFECE

A confiança dos consumidores norte-americanos registou uma redução em Fevereiro de 2015 após ter atingido o nível mais alto em 11 anos, reflectindo assim o aumento dos custos com combustíveis e as más condições meteorológicas nos EUA durante o Inverno.

PARA LER MAIS: “Sentiment Among American Consumers Cools From 11-Year High” (Bloomberg).

 

ÍNDICE DE PREÇOS DE CONSUMO REGISTA QUEDA DE 0,7 PONTOS PERCENTUAIS

A queda nos preços do gás durante o mês de Janeiro de 2015 contribuiu para a maior redução dos preços de consumo em seis anos. Apesar da queda abrupta do índice, economistas notam sinais de que muitos preços estão a aumentar, tal como os custos com serviços, hotéis, restaurantes e rendas. Não obstante, a inflação excessiva tem complicado a decisão da Reserva Federal sobre quando aumentar as taxas de juro a curto prazo.

PARA LER MAIS: “Plunging gas lowers US consumer price index 0.7 pct., but excluding energy and food, costs up” (Associated Press via U.S. News & World Report).

 

PRODUÇÃO PETROLÍFERA NOS EUA ATINGIRÁ 385,000 BARRIS POR DIA

Segundo a Goldman Sachs, o número de explorações petrolíferas nos EUA caiu para 33 na primeira semana de Março de 2015, representando a segunda semana consecutiva em declínio. A perfuração de poços de petróleo tem vindo a reduzir desde o início de 2015 devido ao petróleo barato e às resultantes margens de lucro mas reduzidas. Ainda de acordo com a instituição bancária, a desaceleração da produção de petróleo nos EUA levará a um equilíbrio no mercado petrolífero, adiantando que a produção atingirá os 385,000 barris diários no quarto trimestre de 2015.

PARA LER MAIS: “United States oil production growth to reach 385,000 bpd by Q4 2015 – Goldman Sachs” (Reuters via The Economic Times).

 

PORTOS DA COSTA OCIDENTAL RETOMAM OPERAÇÕES

Foi retomada a actividade nos portos da Costa Ocidental dos EUA após um acordo preliminar ter sido negociado de forma a resolver uma disputa laboral de nove meses, a qual resultou na perturbação de 29 portos e no abrandamento das trocas comerciais entre os EUA e o continente asiático. A maioria dos trabalhadores regressou aos seus postos e têm agora de votar sobre um contrato de cinco anos que está de momento em cima da mesa.

PARA LER MAIS: “US West Coast Ports Working Again” (Voice of America).

 

APPLE É A MAIS VALIOSA EMPRESA NORTE-AMERICANA DE SEMPRE

A Apple tornou-se na primeira empresa norte-americana a ultrapassar uma valorização de 700 mil milhões de dólares. Atrás da Apple está a Exxon com uma valorização de 382 mil milhões de dólares. Cada acção da Apple está avaliada em 122 dólares, mais 64% do que no ano transacto. Um conhecido gestor de fundos de capital de risco prevê que esse valor possa atingir os 200 dólares.

PARA LER MAIS: “Apple: First U.S. company worth $700 billion” (CNN).

 

DELL É A MAIOR EMPRESA A ACEITAR A BITCOIN INTERNACIONALMENTE

A empresa norte-americana Dell tem agora disponível mais uma opção de pagamento, a moeda virtual Bitcoin. O anúncio foi feito pelo CEO da empresa através do Twitter. A Dell irá aceitar pagamentos na forma da moeda virtual não apenas de clientes nos EUA como também no Reino Unido e Canadá.

PARA LER MAIS: “Dell is now the biggest company to accept Bitcoin internationally” (Business Insider).

 

INVESTIMENTO EM ESCRITÓRIOS NOS EUA ATINGE NOVO MÁXIMO DE SETE ANOS

De acordo com uma investigação recente, o aumento da procura por áreas de escritórios em Nova Iorque e o forte interesse dos investidores resultou no maior investimento total em escritórios desde 2007. O volume total de investimento em áreas de escritórios em 2014 foi de 119 mil milhões de dólares, o que representa um aumento de 15% em relação a 2013.

PARA LER MAIS: “U.S Office Investment Hits 7-Year High at $119 Billion” (World Property Journal).

 

MCDONALD’S AVISA QUE TENDÊNCIA PARA AUMENTAR SALÁRIOS PODERÁ CORTAR AS SUAS MARGENS DE LUCRO

O gigante do franchising McDonald’s afirmou no seu relatório anual que a pressão para o aumento dos salários poderá prejudicar os seus lucros. Esta reacção vem no seguimento da decisão da Wal-Mart em aumentar o salário aos seus funcionários. A McDonald’s tem vindo a ser ferozmente criticada pelas remunerações que pratica.

PARA LER MAIS: “McDonald’s warns ‘trend’ toward higher wages may slam margins” (Fortune).

 

BBC DIVULGA DOCUMENTO SOBRE PARCERIA TRANSATLÂNTICA

A cadeia de televisão britânica BBC obteve acesso a um texto que expõe o que a UE pretende ver excluído do acordo de comércio transatlântico com os EUA. O documento, que se refere como “oferta inicial, está acessível no sítio da BBC.

PARA LER MAIS: “TTIP: Transatlantic trade deal text leaked to BBC” (BBC).

 

EUA ABREM PORTA À IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS CUBANOS

O Departamento de Estado norte-americano mostrou-se disponível para permitir que pequenas empresas privadas cubanas, fora da esfera do regime, exportem bens e serviços para os EUA. No entanto, um vasto leque de produtos estarão interditos, tal como rum, cigarros, comida e maquinaria.

PARA LER MAIS: “U.S. cracks open door for some Cuban imports” (Politico).

 

ADMINISTRAÇÃO OBAMA QUER ACORDO FINAL SOBRE O TPP DURANTE PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015

Uma oficial da Câmara de Comércio dos EUA afirmou esperar que os 12 países em negociações para a criação de uma zona de comércio livre no Pacífico concluam o acordo antes de Junho de 2015. A oficial adiantou que atribuir maior poder à Casa Branca possibilitará chegar a um acordo final de forma mais expedita. Tal, no entanto, depende do Congresso.

PARA LER MAIS: “U.S. business leader envisions TPP deal before June” (Kyodo News via The Japan Times).

 

FLUXO DE INVESTIMENTO CHINÊS PODE DAR ASO A FRAUDE

De acordo com um novo relatório elaborado por uma agência reguladora federal, a vigência de um programa de vistos pouco regulado sobre os investidores chineses que pretendam obter permissão de residência nos EUA poderá gerar casos de fraude. A agência levanta questões sobre um programa de vistos que garante residência a estrangeiros em troca de investimentos avaliados em 500 mil a um milhão de dólares.

PARA LER MAIS: “Chinese investment surge raises fraud risks” (Associated Press via China Post).

 

EUA ASSINAM COMPROMISSO COM PAÍSES DA ÁFRICA ORIENTAL

Os EUA e cinco países da Africa Oriental comprometeram-se a agilizar os fluxos de comércio e abrir caminho a mais investimento norte-americano. O programa poderá expandir-se a outras regiões de África. O acordo prevê que os países africanos em questão cooperem com os EUA no que respeita a questões alfandegárias, tais como a diminuição da burocracia nas fronteiras, a redução dos tempos de espera nas alfândegas e a harmonização de normas de comércio. Washington, por seu turno, dará formação em segurança alimentar, normas sanitárias respeitantes a animais e plantas, e regulamentos internacionais.

PARA LER MAIS: “U.S. signs trade pledge with East Africa, eyes rest of continent” (World Bulletin).

 

LITUÂNIA ASSINA MEMORANDO COM EMPRESA DE GÁS NATURAL NOS EUA

A empresa estatal lituana de fornecimento e abastecimento de gás natural, a LITGAS, assinou um memorando de entendimento com a empresa norte-americana Delphin LNG. O memorando estabelece uma base de cooperação para a venda e aquisição de gás natural entre as duas empresas.

PARA LER MAIS: “Lithuania signs MOU with U.S. gas firm” (Xinhua News Agency via Global Post).