Notícias #7 de Política

Vitória do Tea Party nas primárias na Virgínia contra o actual líder republicano da Câmara dos Representantes

RESULTADO HISTÓRICO NA POLÍTICA NORTE-AMERICANA

O republicano Eric Cantor, líder da maioria na Câmara dos Representantes, sofreu uma das mais pesadas derrotas eleitorais na história recente da política norte-americana. Aquele que era apontado por muitos como o sucessor de John Boehner, Presidente da Câmara dos Representantes, perdeu as eleições primárias num dos distritos da Virgínia contra um rival do Tea Party. Esta derrota vem reacender a luta dentro do Partido Republicano entre a corrente central e as facções mais à direita do espectro político.

PARA LER MAIS: “An earthquake for US politics: Tea Party topples top Republican in Virginia primary” (The Independent).

UM SENADO REPUBLICANO TRARÁ MAIOR LIBERALIZAÇÃO COMERCIAL

Uma vitória do Partido Republicano no Senado, e o consequente controlo das duas câmaras, poderá garantir o avanço de algumas iniciativas comerciais que até ao momento têm encontrado resistência. Os democratas, que contam com o apoio dos sindicatos, poderão ver-se impedidos de bloquear legislação que promova a liberalização do comércio.

PARA LER MAIS: “Republican gains in November may boost chances of U.S. trade deals” (Reuters).

OBAMA INDIGNADO COM A INCAPACIDADE DE SE REFORÇAR A LEI DE PORTE DE ARMA

O Presidente Barack Obama afirmou que o Congresso norte-americano devia ter vergonha de não conseguir reforçar a legislação sobre o controlo de armas. O Presidente dos EUA acusou ainda os legisladores de terem medo da National Rifle Association, o poderoso lobby que promove o direito à posse de armas no país. As declarações surgem no seguimento do tiroteio num liceu do estado do Oregon que vitimou um estudante e feriu um professor.

PARA LER MAIS: “Obama: Congress Should Be Ashamed of No Gun-Law Action” (Bloomberg).

LIMITADA A RECOLHA DE DADOS TELEFÓNICOS NOS EUA

Uma coligação bipartidária aprovou, na Câmara dos Representantes, um projecto de reforma da National Security Agency (NSA) que visa limitar a recolha em massa de registos de chamadas telefónicas. O USAFreedom Act, como o projecto de lei foi designado, vai ser enviado para o Senado. Os líderes democratas esperam reinstaurar as protecções de privacidade que foram alegadamente enfraquecidas após as negociações entre a Casa Branca e o Capitólio.

PARA LER MAIS: “House passes NSA reform bill limiting collection of phone data” (LA Times).

SENADO BLOQUEIA PROJECTO LEI DE REFINANCIAMENTO DE EMPRÉSTIMOS UNIVERSITÁRIOS

Os republicanos no Senado norte-americano bloquearam nova legislação que visava possibilitar aos estudantes refinanciar os seus empréstimos universitários a taxas mais reduzidas. Como argumento para o chumbo da lei, os republicanos afirmam que esta medida não iria contribuir para a redução nos custos de educação ou reduzir os empréstimos, acusando ainda os democratas de abordarem este assunto como uma jogada política.

PARA LER MAIS: “Senate Republicans block Democratic student loan refinancing bill, decrying politics” (Associated Press via US News).

CONGRESSO PRESSIONADO A AUMENTAR A PROTECÇÃO DA PRIVACIDADE

Uma coligação de empresas de tecnologia, associações de comércio e grupos de lobby estão a contestar uma lei que permite ao governo ler correio electrónico e dados armazenados em tecnologia cloud sem a necessidade de mandado de busca. O Congresso norte-americano tem sido pressionado no sentido de reforçar a protecção da privacidade.

PARA LER MAIS: “Tech firms press US Congress to bolster privacy protection” (Business Standard).

MICHELLE OBAMA PERDE BATALHA SOBRE PADRÕES ALIMENTARES NAS ESCOLAS

Um comité da Câmara dos Representantes votou a favor de uma provisão que permite a alguns distritos escolares não cumprir os requisitos federais que impõem uma redução no sódio e mais fruta, vegetais e alimentos integrais, na alimentação escolar. Michelle Obama, a primeira-dama dos EUA, tem-se oposto fortemente a esta decisão. A medida foi fortemente apoiada por diversos republicanos, que argumentam que os novos padrões alimentares são demasiado complicados e levam a um maior desperdício de comida.

PARA LER MAIS: “First lady loses early round of food fight” (USA Today).

OBAMA CRIA GRUPO PARA LIDAR COM A IMIGRAÇÃO ILEGAL INFANTIL

O Presidente Barack Obama estabeleceu um grupo de acção, constituído por agências nacionais, com o fim de melhor lidar com o crescente influxo ilegal de crianças não acompanhadas pelos pais ou familiares. Esta é para Obama uma “situação humanitária urgente”. A administração norte-americana estima que cerca de 60 mil “menores desacompanhados” entrarão nos EUA este ano, um número que poderá atingir os 130 mil no próximo ano.

PARA LER MAIS: “Obama creates task force on children who enter U.S. illegally” (Reuters).

EUA VÃO REVER A LIBERTAÇÃO DE IMIGRANTES ACUSADOS DE COMETER CRIMES

Juristas do governo norte-americano vão rever a forma como a administração Obama liberta imigrantes responsáveis por actividades criminais que enfrentam a deportação. As políticas federais estabelecem que o governo deve libertar estes imigrantes caso os EUA não consigam repatriá-los num prazo de seis meses. O líder do Departamento de Segurança Interna, Jeh Johnson, pretende saber se o governo pode mantê-los em detenção caso constituam uma ameaça à segurança nacional ou à segurança pública.

PARA LER MAIS: “US to review releases of criminal deportees” (The Boston Globe).