Notícias #12 de Economia

IMG_0272

ECONOMIA DOS EUA CRESCE APÓS UM INÍCIO DE ANO COMPLICADO

 Um estudo elaborado pela Reserva Federal norte-americana concluiu que houve retoma da actividade económica nos EUA. O mercado de trabalho ganhou força e notou-se até escassez de mão-de-obra em algumas áreas. O estudo, que abrangeu o período entre finais de Maio e inícios de Julho, registou uma expansão económica “modesta” e “moderada”.

PARA LER MAIS: “U.S. Economy Heating Up During Summer” (The Wall Street Journal).

RESERVA FEDERAL VAI CESSAR O APOIO DIRECTO À ECONOMIA

Tendo em conta a melhoria da economia norte-americana, a Reserva Federal pretende terminar o apoio directo dado à economia já em Outubro. Desde finais de 2012 que o banco central dos EUA tem adquirido cerca de 85 mil milhões de dólares em obrigações do Tesouro todos os meses, com o objectivo de manter as taxas de juro a um nível baixo e assim contribuir para a recuperação económica.

 PARA LER MAIS: “Federal Reserve to End Direct Support of US Economy in October” (Voice of America).

ECONOMIA NORTE-AMERICANA CRIA 288 MIL POSTOS DE TRABALHO EM JUNHO

 O mês de Junho registou a criação de 288 mil postos de trabalho na economia norte-americana. Este valor aponta para uma cada vez maior estabilidade no mercado de trabalho e poderá levar a uma reavaliação do prazo para aumentar as taxas de juro. O desemprego desceu para 6,1% nesse mesmo mês.

 PARA LER MAIS: “U.S. Economy Tacks on 288K Jobs in June; Jobless Rate Lowest Since September ‘08” (Fox).

CRESCIMENTO URBANO ALIMENTA A ECONOMIA DOS EUA

 Um relatório elaborado pela Casa Branca concluiu que mais de dois-terços das estradas nos EUA necessitam de reparações, notando ainda os elevados custos associados às más condições da rede de transportes. O relatório foi publicado no âmbito da campanha do Presidente Obama para pressionar o Congresso a reforçar o fundo destinado à renovação das estradas.

 PARA LER MAIS: “Crumbling Roadways Add Costs to Economy, White House Says” (Bloomberg).

DÍVIDA NORTE-AMERICANA ECLIPSARÁ O PIB EM 25 ANOS

 O Gabinete Orçamental do Congresso norte-americano estima que em 25 anos a dívida pública dos EUA atingirá 106% do Produto Interno Bruto. O Gabinete considerou também que os défices federais são insustentáveis e podem levar a uma nova crise financeira no futuro. O aumento dos défices e da dívida nos próximos 25 anos terá o envelhecimento da população como uma das causas principais.

PARA LER MAIS: “US debt will eclipse GDP in 25 years: CBO” (Reuters via CNBC).

EMPRESA NORTE-AMERICANA ASSINA ACORDO DE PRODUÇÃO DE ENERGIA COM O IRÃO

A empresa norte-americana World Eco Energy assinou um acordo preliminar com o Irão para o investimento num projecto conjunto para transformar lixo e desperdícios humanos em electricidade. A empresa planeia produzir 250 megawatts diários.

 PARA LER MAIS: “US company signs $1.175bn Iran energy deal: Report” (Agence France-Presse via The Times of India).

VOLKSWAGEN INVESTE 900 MILHÕES NO ESTADO DO TENNESSEE

 A empresa Volkswagen anunciou o investimento de 900 milhões de dólares para a construção de um SUV de sete lugares na sua fábrica no estado do Tennessee. A construção do veículo terá início em finais de 2016 e irá duplicar o número de trabalhadores na fábrica.

 PARA LER MAIS: “VW to spend $900 million at Tennessee plant to build new SUV” (Reuters via Business Insider).

EMPRESAS NORTE-AMERICANAS OLHAM PARA O ESTRANGEIRO PARA EVITAR IMPOSTOS

 Um número cada vez maior de empresas nos EUA procura pagar menos impostos, recorrendo para isso ao início de operações em conjunto com empresas estrangeiras. Esta tendência poderá ter elevados custos para o governo norte-americano.

 PARA LER MAIS: “US companies look overseas for tax relief” (Associated Press via Fox).

SANÇÕES CONTRA O IRÃO TÊM IMPACTO NEGATIVO NA ECONOMIA DOS EUA

 Um relatório recente conclui que as sanções norte-americanas contra o Irão têm um impacto negativo na economia dos EUA. O relatório afirma que desde 1995 as sanções resultaram numa perda de 175 mil milhões de dólares em receitas de exportações.

 PARA LER MAIS: “Iranian Sanctions Have Cost U.S. Economy Up to $175 Billion, Study Says” (Time).

PROGRESSO NAS NEGOCIAÇÕES ENTRE A CHINA E OS EUA

 Um dos resultados do encontro entre representantes dos EUA e da China foi a afirmação do empenho por parte de Beijing em reduzir a intervenção estatal no seu sistema monetário. Registou-se igualmente algum progresso relativamente às negociações em curso sobre um tratado de investimento entre as duas potências.

 PARA LER MAIS: “U.S., China Highlight Moves on Yuan, Investment Pact” (Bloomberg).

AUMENTO DE INVESTIMENTO CHINÊS NOS EUA

 O investimento chinês em bens produzidos nos EUA tem vindo a aumentar nos últimos anos, beneficiando a criação de emprego e de novos negócios, o que contraria a tendência registada nas décadas anteriores. Contudo, apesar do aumento de investimento oriundo da China ter contribuído positivamente para a economia de alguns estados e localidades, é improvável que o défice comercial entre os dois países seja reduzido.

 PARA LER MAIS: “Chinese Investment Increasing In US Projects, Boosting Small-Town Economies” (International Business times).

EUA LIDERAM NA CRIAÇÃO DE NOVOS NEGÓCIOS

 Um novo relatório afirma que entre os principais países desenvolvidos os EUA é o que mais empresas cria. Em 2013, quase 13% da população trabalhadora dos EUA iniciou ou dirigia um novo negócio. O relatório adianta ainda que os EUA têm a maior taxa de empreendorismo entre 25 países da América do Norte, Europa e Ásia.

 PARA LER MAIS: “U.S. Leads Developed Economies In Startup Activity” (Forbes).

EUA AUTORIZAM EXPORTAÇÃO DE CRUDE AO FIM DE QUATRO DÉCADAS

 Ao fim de quatro décadas de proibição, o Departamento de Comércio dos EUA autorizou várias companhias a exportar crude. Teme-se que o fim da proibição possa causar um aumento do preço dos combustíveis petrolíferos.

 PARA LER MAIS: “US set to allow crude oil exports after four decade ban” (RT).

SISTEMA PÚBLICO DE PENSÕES DOS EUA COM GANHOS MODESTOS

 O sistema público de pensões dos EUA registou ganhos modestos nos seus investimentos durante o primeiro trimestre deste ano. Caso os ganhos continuem a este nível, o sistema público de pensões poderá, dentro de alguns anos, não conseguir pagar os benefícios e pensões da geração do Baby Boom.

 PARA LER MAIS: “U.S. public pensions’ investment gains slow in first quarter: Census” (Reuters).

COMPRADORES ESTRANGEIROS APOSTAM NO MERCADO IMOBILIÁRIO DOS EUA

 As vendas de imobiliário a imigrantes e a compradores baseados no estrangeiro atingiram, em 2013, um novo valor máximo. Em apenas um ano o valor de vendas de imobiliário aumentou 35%. Este aumento deve-se em grande parte aos compradores chineses, os quais gastaram, nesse mesmo ano, 22 mil milhões de dólares.

PARA LER MAIS: “Foreign Buyers Flock to U.S. Real Estate; Chinese Buyers Spent $22 Billion in 2013” (US Finance Post).

EMBAIXADOR DOS EUA INSISTE NA EXCLUSÃO DOS SERVIÇOS FINANCEIROS NO ACORDO TRANSATLÂNTICO

 O embaixador norte-americano para a UE afirmou que Bruxelas deve parar de insistir na inclusão dos serviços financeiros no acordo de parceria transatlântica. O embaixador adiantou, no entanto, que o texto incluirá um capítulo sobre o acesso aos mercados financeiros. Acresce que, na sua opinião, o diálogo regulatório existente entre as duas partes tem-se mostrado suficiente para servir os sectores financeiros dos dois blocos económicos.

PARA LER MAIS: “TTIP will not include financial services, says US ambassador” (EurActiv).

PORTUGAL TEM MUITO A GANHAR COM O ACORDO DE COMÉRCIO ENTRE EUA E UE

 O deputado ao Parlamento Europeu na anterior legislatura, Vital Moreira, acredita que Portugal é um dos países que mais pode ganhar com o acordo de comércio entre a UE e os EUA. Vital Moreira adianta que alguns sectores em particular poderão tirar o maior proveito do acordo, nomeadamente o calçado, os têxteis e produtos gourmet.

 PARA LER MAIS: “Portugal has much to gain from EU-US trade agreement” (Lusa via The Portugal News).

TESOURO PORTUGUÊS ATRAI INVESTIDORES NORTE-AMERICANOS

 A colocação de dívida portuguesa em dólares obteve forte procura nos EUA. O objectivo era chegar aos investidores norte-americanos que normalmente não investem em euros, o que foi alcançado com a emissão de 4500 milhões de dólares de dívida pública portuguesa, a maior operação do género realizada por países europeus desde 2005.

 PARA LER MAIS: “Tesouro chega a gestores de fundos norte-americanos com emissão de 4500 milhões de dólares” (Público).

IBM ABRE CENTRO DE CLOUD EM PORTUGAL

 O novo centro de Cloud da multinacional norte-americana IBM, em Portugal, está totalmente operacional desde 1 de julho e contará com 60 pessoas, um número que pode aumentar. Este é um centro de computação e de serviços Cloud que “incorpora o conhecimento e melhores práticas que resultam do facto de a IBM ter a maior unidade mundial de pesquisa e desenvolvimento do que qualquer empresa privada”.

 PARA LER MAIS: “Centro da IBM em Lisboa terá 60 pessoas mas número pode aumentar” (Lusa via OJE).

EMPRESA PORTUGUESA AMF APONTA AOS EUA E CANADÁ

 O fabricante português de calçado de segurança AMF anunciou o investimento de 1,4 milhões de euros numa nova unidade fabril em Guimarães, para “reforçar e expandir” o negócio ao Canadá e EUA. O projecto estará pronto no final deste ano e vai permitir “duplicar a actual capacidade de produção de calçado técnico e de segurança”.

 PARA LER MAIS: “Empresa de calçado de segurança investe para chegar aos EUA e Canadá” (Lusa via Dinheiro Digital).