Não perca a nova edição da revista WE

Leia a nova edição da WE, a revista online onde pode conhecer algumas das principais atividades da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD). Neste número, destacamos o programa Ocean Portugal, assinado pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, com o presidente da FLAD, Vasco Rato. Mas também damos atenção à celebração dos três anos de Connect to Success, o programa de empreendedorismo feminino da FLAD que envolve 900 mulheres de negócios, no Continente e Ilhas. Contamos ainda como foi a presença do grande romancista americano Jonathan Franzen pela primeira vez numa conferência exclusiva em Portugal, referindo também o plano de capacitação lançado pela FLAD África em São Tomé e Princípe e a continuação do sucesso do Study in Portugal Network. Não perca, leia já, no site da FLAD.

Vasco Rato, presidente da FLAD, escreve no editorial:

A FLAD teve a honra de se associar ao Ministério do Mar na assinatura do Programa Ocean Portugal. Como tive a oportunidade de afirmar na assinatura do protocolo com a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, contando com a presença e o apoio do Embaixador dos Estados Unidos, George E. Glass, este programa representa mais um passo em frente para Portugal, no sentido de potenciar o valor estratégico do nosso espaço marítimo para o futuro do País, tanto a nível da segurança como do desenvolvimento económico.

Trata-se, por outro lado, de uma iniciativa que visa atrair investimento estrangeiro, nomeadamente dos Estados Unidos, para a economia azul nacional. A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento assume assim, uma vez mais, o papel de ponte entre Portugal e os Estados Unidos. Sobre a importância do Ocean Portugal, chamo a atenção para as potencialidades de um programa que prevê a realização de uma conferência internacional sobre o financiamento da Economia do Mar, entre muitas outras ações. As potencialidades marítimas portuguesas são conhecidas, mas é preciso, de uma vez por todas, que sejam concretizadas (Ver págs 10 a 13).

O Mar não pode ser uma fronteira, mas uma autoestrada de união com os nossos interesses estratégicos, seja na relação com a América, seja com os países africanos que falam português.

Clique na imagem para ler a nova edição em pdf: 

livro01