Leia a nova edição da revista WE com um ensaio de Carlos Gaspar sobre a eleição de Donald Trump e uma homenagem a Bernardino Gomes de Tiago Moreira de Sá

Clique na imagem para ler a revista WE em PDF

Clique na imagem para ler a revista WE em PDF

Leia a nova edição da WE, a revista online da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, concebida para ser lida por todos quantos pretendem seguir a sua atividade. Ao longo das suas 30 páginas, confere-se especial visibilidade às diversas iniciativas realizadas e patrocinadas pela FLAD, ou em que está envolvida direta ou indiretamente.

Nesta edição, o principal destaque vai para o encontro “Decisão 2016 – Eleições Presidenciais Americanas” que reuniu na sede da Fundação, o presidente da FLAD, Vasco Rato, com Devin Nunes e Tony Cabral, dois dos políticos luso-americanos mais influentes nos Estados Unidos.

 

Pode ainda ler o editorial em que Vasco Rato defende que a cooperação é uma palavra-chave:

“A FLAD nasceu para promover as relações entre Portugal e os Estados Unidos, visando, com este intercâmbio, o desenvolvimento económico, social e cultural português. É isso que continuamos a fazer, procurando contribuir para o desenvolvimento nacional, através do apoio financeiro e estratégico a projetos inovadores, com o incentivo à cooperação entre as sociedades civis de Portugal e dos Estados Unidos.”

 

Destaque também para a homenagem do politólogo Tiago Moreira de Sá ao antigo administrador da Fundação, Bernardino Gomes, que foi essencial na criação da FLAD:

Bernardino Gomes partiu. Mas o seu projeto ficou. Nos muitos que ele motivou a pensar por si mesmos, a debater e a lutar pelas suas causas de sempre: a liberdade, a democracia, um Portugal próspero e equitativo, Europeu e Atlântico.”

 

Leia também o ensaio do especialista em Política Internacional, Carlos Gaspar sobre a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais americanas:

“O novo Presidente nunca exerceu um cargo público antes de chegar à Casa Branca: Trump não tem uma carreira política, não conhece a administração pública, nem sabe o que é o Estado. O novo Presidente, que vai dirigir a política externa da principal potência internacional, não tem a menor experiência diplomática. Esse contexto, sem precedentes na política norte-americana, justifica a ansiedade com que todos os responsáveis políticos, tanto nos Estados Unidos como fora de portas, aguardam os próximos meses e as primeiras decisões do Presidente Trump.”

Pode ver aqui também: 

livro01

 


Revista WE – 4ª Edição