Jorge Gabriel da FLAD intervém na conferência ‘Next Challenge USA – TTIP Oportunidades e Desafios para as empresas portuguesas’

Momento da intervenção inicial de Jorge Gabriel, administrador executivo da FLAD

Momento da intervenção inicial de Jorge Gabriel, administrador executivo da FLAD

Leia a intervenção do administrador executivo da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, Jorge Gabriel, na abertura da conferência ‘Next Challenge USA – TTIP Oportunidades e Desafios para Portugal‘, que se realizou esta terça-feira, dia 3, no Auditório da AEP-Associação Empresarial de Portugal em Leça da Palmeira.

Jorge Gabriel lembrou, entre outros aspectos da maior relvância sobre o TTIP – Acordo Transatlântico de Comércio e Investimento, que um estudo sobre o seu impacto macro-económico, co-promovido pela FLAD em 2014, concluiu que “Portugal beneficia mais do que a média da União” com a sua entrada em vigor “e, compreensivelmente, mais cedo do que a média da União”. Isto porque, acrescentou o administrador executivo da FLAD, “os nossos sectores exportadores mais fortes tendem a ser mais penalizados por taxas aduaneiras.”

Ainda segundo Jorge Gabriel, “o estudo apontava para um impacto significativo na economia portuguesa, aferido por indicadores de produto, com um aumento, numa primeira fase do cenário conservador, de 0,66 %, isto é, cerca de 1.150 milhões de euros e da balança de transações (importações e exportações), de 0,28 % no mesmo período temporal.”

Mais: “o Estudo também preconiza, numa lógica de comparação com o ´status quo´, isto é, sem acordo, um aumento do emprego, no imediato e a longo prazo – e um crescimento dos salários, em particular dos menos qualificados. A análise sectorial mostra que estes ganhos não se obtêm por igual em todos os sectores. Do ponto de vista do produto, saem claramente beneficiados os ‘Têxteis e Confecções’, para os quais se prevê um aumento de 30% das exportações para os Estados Unidos. Por contraponto, os “Equipamentos Elétricos” parecem acentuar a redução da sua atividade que se tem verificado nos últimos anos, não só em Portugal mas também a nível europeu.”

Leia a versão integral da intervenção de Jorge Gabriel: TTIP, Next Challenge USA
Leia o programa da conferênciaPROGRAMA FINAL