FLAD Life Science: Entrevista a Maria Manuel Mota

A cientista Maria Manuel Mota com o presidente da FLAD, Vasco Rato

A cientista Maria Manuel Mota com o presidente da FLAD, Vasco Rato

A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) vai distinguir a ciência que se faz em Portugal, lançando o Prémio FLAD Life Science 2020, destinado este ano à investigação básica e aplicada em ciências da vida.O prémio, no valor de 800 mil euros, destina-se a cientistas portugueses que trabalham em instituições nacionais, em colaboração com norte-americanas, e visa distinguir um projeto de investigação fundamental na área das ciências da vida (400 mil euros) e um de investigação clínica numa doença que afeta a sociedade portuguesa (400 mil euros).

O comité de avaliação do Prémio FLAD Life Science 2020 é presidido pela investigadora Maria Manuel Mota, Prémio Pessoa 2013, que se tem debruçado no estudo do parasita da malária.

A cientista, do Instituto de Medicina Molecular, explicou à TSF que este prémio pretende distinguir equipas de instituição portuguesas que estejam a desenvolver, por um lado, um produto destinado à população, e por outro na formação de novo conhecimento.

Maria Manuel Mota lembra ainda que é preciso apostar mais na ciência em Portugal e passar do papel à pratica.

As candidaturas arrancam no próximo dia 22 de Setembro e terminam no dia 20 de Outubro.

Do comité de avaliação fazem ainda parte o neurocientista Rui Costa, da Fundação Champalimaud, e a bioengenheira Sangeeta Bhatia, do Massachusetts Institute of Technology (EUA).

Fonte: TSF – Ouvir entrevista de Maria Manuel Mota