FLAD Life Science 2020

A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) lançou no dia 1 de junho de 2016 a 2ª Edição do FLAD Life Science 2020, um prémio científico no valor total de 800 mil euros, durante três a quatro anos, ao serviço de dois projectos estruturantes no domínio da ciência e investigação. É um prémio para um projecto de investigação fundamental e outro orientado para investigação aplicada.

Acesse à notícia e a todos os documentos necessários para se candidatar: http://www.flad.pt/flad-life-science-2020-2a-edicao-abre-ja-no-proximo-dia-1-junho/

 

O FLAD Life Science 2020 é dirigido a investigadores a operar em território nacional e que colaboram com uma instituição portuguesa, não lucrativa, pública ou privada, estando a investigar em conjunto com cientistas a operar nos Estados Unidos da América. O Comité de avaliação é liderado pela cientista Maria Manuel Mota, uma das maiores especialistas do mundo em malária, cujo trabalho foi distinguido recentemente com a atribuição do Prémio Pessoa 2013.

A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) lançou o FLAD Life Science 2020, um prémio que galardoará dois projectos científicos com um valor total de 800 mil euros, durante três a quatro anos, numa iniciativa que visa sustentar, aprofundar e internacionalizar a investigação nacional e, consequentemente, a economia portuguesa.

O comité de avaliação e aconselhamento do FLAD Life Science 2020 é liderado por Maria Manuel Mota, cientista do Instituto de Medicina Molecular e uma das maiores especialistas do mundo em malária, cuja investigação lhe valeu o Prémio Pessoa 2013.

A acompanhar Maria Manuel Mota no júri estão Rui Costa, investigador principal do Programa de Neurociências da Fundação Champalimaud, e Sangeeta Bhatia, engenheira biomédica e professora do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

Segundo Vasco Rato, Presidente da FLAD, “este prémio tem a particularidade, face a outros, de se dirigir a investigadores exclusivamente a operar em Portugal em áreas que vão ao encontro dos problemas das pessoas. Facto é que são duas distinções, uma para projectos com uma componente mais teórica, e outra orientada para uma investigação aplicada procurando reduzir, na prática, o impacto de doenças que são comuns em Portugal. Isto contribui de sobremaneira para a internacionalização do Conhecimento Nacional, especialmente no mercado norte-americano, uma das matrizes da Fundação”.

Sobre o comité de avaliação e aconselhamento do FLAD Life Science 2020, Vasco Rato salienta ainda que “é com muita honra que um prémio com a insígnia FLAD acolhe este grupo de investigadores como júri pois, não só farão parte de um profundo e rigoroso processo de avaliação sem quaisquer contrapartidas, como também renunciarão à candidatura dos seus próprios projectos que seriam, naturalmente, fortes proponentes.”

As candidaturas da primeira edição do FLAD Life Science 2020 arrancaram dia 22 de Setembro de 2015 e terminaram a 20 de Outubro, sendo que no dia 15 de Dezembro foram anunciados os projectos vencedores. Os critérios de avaliação passaram pela relevância para a saúde humana, mérito científico do desenho e do projecto, a excelência dos investigadores e a qualidade da instituição associada ao projecto proponente.