Lançado FLAD Life Science 2020

?????

A Fundação Luso-Americana lançou na quinta-feira, dia 18 de Setembro, um prémio científico no valor total de 800 mil euros, durante três a quatro anos, ao serviço de dois projectos estruturantes no domínio da ciência e investigação. É um prémio para um projecto de investigação fundamental e outro orientado para investigação aplicada.

O FLAD Life Science 2020 é dirigido a investigadores a operar em território nacional e que colaboram com uma instituição portuguesa, não lucrativa, pública ou privada. O Comité de avaliação é liderado pela cientista Maria Manuel Mota, uma das maiores especialistas do mundo em malária, cujo trabalho foi distinguido recentemente com a atribuição do Prémio Pessoa 2013.

A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) acaba de lançar o FLAD Life Science 2020, um prémio que galardoará dois projectos científicos com um valor total de 800 mil euros, durante três a quatro anos, numa iniciativa que visa sustentar, aprofundar e internacionalizar a investigação nacional e, consequentemente, a economia portuguesa.

O comité de avaliação e aconselhamento do FLAD Life Science 2020 é liderado por Maria Manuel Mota, cientista do Instituto de Medicina Molecular e uma das maiores especialistas do mundo em malária, cuja investigação lhe valeu o Prémio Pessoa 2013.

A acompanhar Maria Manuel Mota no júri estão Rui Costa, investigador principal do Programa de Neurociências da Fundação Champalimaud, e Sangeeta Bhatia, engenheira biomédica e professora do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

Segundo Vasco Rato, Presidente da FLAD, “este prémio tem a particularidade, face a outros, de se dirigir a investigadores exclusivamente a operar em Portugal em áreas que vão ao encontro dos problemas das pessoas. Facto é que são duas distinções, uma para projectos com uma componente mais teórica, e outra orientada para uma investigação aplicada procurando reduzir, na prática, o impacto de doenças que são comuns em Portugal. Isto contribui de sobremaneira para a internacionalização do Conhecimento Nacional, especialmente no mercado norte-americano, uma das matrizes da Fundação”.

Sobre o comité de avaliação e aconselhamento do FLAD Life Science 2020, Vasco Rato salienta ainda que “é com muita honra que um prémio com a insígnia FLAD acolhe este grupo de investigadores como júri pois, não só farão parte de um profundo e rigoroso processo de avaliação sem quaisquer contrapartidas, como também renunciarão à candidatura dos seus próprios projectos que seriam, naturalmente, fortes proponentes.”

As candidaturas ao FLAD Life Science 2020 arrancam no próximo dia 22 de Setembro e terminam no dia 20 de Outubro, sendo que o dia 15 de Dezembro é a data marcada para o anúncio dos projectos vencedores. Os critérios de avaliação passam pela relevância para a saúde humana, mérito científico do desenho e do projecto, a excelência dos investigadores e a qualidade da instituição associada ao projecto proponente.

 

FLAD LIFE SCIENCE 2020

FLAD is launching a call for 3-4 year project grants on basic and translational health sciences for researchers working in Portugal developing a collaborative effort with researchers in USA. The objective of the FLAD grants is to increase the competitiveness of Portuguese research groups, by providing support for collaborative research projects with leading USA groups. All research areas in biomedical sciences will be considered eligible for funding. A scientific committee provides FLAD with independent scientific coordination and advice. It is composed by the following experts:

  • Maria Manuel Mota, Instituto de Medicina Molecular, Portugal;
  • Rui Costa, Fundação Champalimaud, Portugal;
  • Sangeeta Bhatia, Massachusetts Institute of Technology, USA.

APPLICANT ELIGIBILITY/INDEPENDENCE At the time of application:

  • The applicant must hold an MD, PhD, or equivalent degree, and must be employed by a Portuguese institution (public non-profit, private non-profit, or government) engaged in health care and/or health related research.
  • The applicant must have attained independence as a researcher, and sufficient information must be provided in the application to demonstrate the autonomy and scientific quality of the Portuguese research institution.
  • The applicant’s research institution must declare its support for the project, and describe the available resources to develop the project.
  • Detailed information will also be required on the proposed co-applicant from US research institutions.
  • Eligibility is not restricted by citizenship.

HOW TO APPLY:

Announcement;

Application Form & Biographical Sketch;

Patent and Intellectual PropertyPolicy.

18 de Setembro de 2014