Ex-embaixatriz dos EUA em Portugal, Kim Sawyer, convidada pela FLAD para diretora executiva do programa Connect to Success

Robert Sherman, Kim Sawyer e Vasco Rato

Robert Sherman, Kim Sawyer e Vasco Rato

Lançado em Portugal em julho de 2014, o programa ‘Connect to Success’ (C2S), uma iniciativa promovida pela embaixatriz norte-americana Kim Sawyer, também ela uma mulher empreendedora, com a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD), conseguiu apoiar, até à data, os negócios de 750 mulheres, das quais cerca de 100 encontram-se nos Açores.

“Este programa é o feito de que tenho mais orgulho da nossa passagem por Portugal. Será o nosso legado em Portugal”, disse o embaixador Robert Sherman, que deixará Lisboa na próxima sexta-feira (dia 20), no mesmo dia em que a nova administração do Presidente eleito Donald Trump toma posse em Washington.

Palavras partilhadas pela embaixatriz norte-americana Kim Sawyer que contou, em declarações aos jornalistas, que o programa C2S teve como ponto de partida a sua própria experiência como empreendedora em Boston, a sua cidade, e teve como objetivo “dar sentido à confiança” das mulheres.

“As mulheres podem fazer tudo o que quiserem. E será um privilégio continuar com este trabalho com o apoio da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD)”, referiu Kim Sawyer.

Depois da partida do casal de Lisboa, a FLAD irá assumir a gestão do programa C2S que, segundo Vasco Rato (presidente da fundação), não só contribui para “o ‘empowerment’ [capacitação] das mulheres, mas também para o desenvolvimento de Portugal”.

A ligação da embaixatriz irá manter-se, no entanto, uma vez que Kim Sawyer será a diretora-executiva do programa.

Entre as cerca de 800 mulheres portuguesas que integraram até à data o programa está Joana Borges Coutinho, uma engenheira agrónoma de 39 anos que apostou em julho de 2015 num projeto na área do turismo sustentável nos Açores.

Natural de Ponta Delgada, a engenheira agrónoma — que já tinha “vestido” a pele de empreendedora quando viveu durante 15 anos no Reino Unido — destacou que o programa C2S permitiu-lhe o acesso a recursos e a peritos que não teria de outra forma, nomeadamente em áreas como redes sociais ou marketing digital.

“Estão a dar recursos, conhecimentos. Não se trata de uma viabilização do projeto, mas sim uma aceleração do projeto”, explicou Joana Borges Coutinho, salientando que o programa C2S não é focado na atribuição de verbas monetárias.

“A desigualdade de género ainda é preponderante na sociedade. Todos os apoios e discriminações positivas são ótimos”, concluiu.

Advogado de formação e de carreira, Robert Sherman foi nomeado pelo Presidente norte-americano, Barack Obama, como embaixador dos Estados Unidos em Lisboa em julho de 2013.

Um ano depois, e após a sua nomeação ser aprovada pela comissão de Negócios Estrangeiros do Senado norte-americano (câmara alta do Congresso norte-americano), Robert Sherman apresentou credenciais, em finais de maio de 2014, ao então Presidente Cavaco Silva.

Notícia editada a partir da LUSA