Eleitos luso-americanos reúnem-se com governantes portugueses e oposição na FLAD e assinam Declaração Final a defender a criação de grupo de pressão nos EUA

Fotografia de família dos eleitos luso-americanos, incluindo os três congressistas em Washington, David Valadão, Devin Nunes e Jim Costa, assim como o presidente da California Portuguese American Coalition, Diniz Borges, no jantar final na sexta-feira, dia 6 de abril, em que foi orador Rui Vieira Nery, encerrando o IV Luso-American Legislators’ Dialogue, do qual resultou uma declaração final em que se prevê a criação de um grupo de pressão política para defender os interesses das comunidades luso-descendentes na costa leste dos Estados Unidos.

Políticos luso-americanos reuniram-se em Lisboa nos dias 5 e 6 de abril de 2018 com membros do Governo português e da oposição, um encontro organizado pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) que promoveu Portugal como um país “moderno e aberto” nos Estados Unidos.

O IV Luso-American Legislators´Dialogue, que decorreu pela quarta vez em Lisboa, contou com a intervenção do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, como um dos oradores principais, a par de Rui Vieira Nery, diretor do programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas, ambos na sexta-feira, dia 6 de abril.

No primeiro dia de trabalhos, teve lugar uma intervenção do embaixador norte-americano em Lisboa, George Glass, como orador principal.

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, e o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, foram outros governantes que participaram na reunião de dois dias.

O presidente do PSD, Rui Rio, e o antigo primeiro-ministro e líder social-democrata Francisco Pinto Balsemão também participaram no encontro, além do vice-presidente da bancada socialista Pedro Delgado Alves; e o eurodeputado do CDS-PP, Nuno Melo.

Entre os eleitos norte-americanos, estiveram presentes três membros do Congresso: Jim Costa (democrata), Devin Nunes (próximo do Presidente dos EUA, Donald Trump) e David Valadao (republicano, que participou pela vez neste encontro).

A California Portuguese American Coalition, a primeira rede pró-portuguesa nos EUA, criada precisamente a partir destes encontros anuais, também esteve representada pelo seu presidente, Diniz Borges.

A quarta edição deste encontro aconteceu dois meses antes da realização das comemorações do Dia de Portugal, 10 de junho, que vão contar com a presença do Presidente da República, e do primeiro-ministro, António Costa, nos Estados Unidos.

Em declarações à Lusa, o presidente da FLAD, Vasco Rato, afirmou que o encontro teve “como principal objetivo aproximar legisladores portugueses e norte-americanos de ascendência portuguesa, criando laços entre eles e, ao mesmo tempo, levar aos seus constituintes e a todos os americanos a imagem de um país europeu, moderno, dinâmico e aberto ao mundo”.

Estes encontros, que têm decorrido anualmente, “já se institucionalizaram”, destacou Vasco Rato, apontando a criação de uma “rede operacional de legisladores, políticos e personalidades de ascendência portuguesa, que sentem orgulho nas suas origens e que promovem Portugal nos Estados Unidos”.

O presidente da FLAD assinalou ainda que a realização das comemorações do Dia de Portugal nos Estados Unidos “merece o aplauso de todos os portugueses” e “pode ser mais uma oportunidade para que sejam conhecidas as principais necessidades dos luso-americanos”.

Declaração Final 

Já os políticos luso-americanos estão agora a estudar a criação de um grupo de pressão política para defender os interesses das comunidades luso-descendentes na costa leste dos Estados Unidos.

Esta foi uma das principais conclusões da quarta edição dos Diálogos de Legisladores Luso-Americanos, segundo a declaração final a que a agência Lusa teve acesso.

O documento, assinado pelos 20 eleitos luso-descendentes que participaram no encontro, incluindo os congressistas Devin Nunes e David Valadao (republicanos) e Jim Costa (democrata), destaca que estes encontros anuais “reforçaram os laços” entre os participantes.

A iniciativa, promovida desde 2015 pela actual administração da FLAD, presidida por Vasco Rato, permitiu “um entendimento mais robusto, não-partidário, entre os legisladores”, destacando o exemplo da criação da California Portuguese American Coalition (CPAC), em 2016, presidida pelo professor e cônsul honorário em Tulare, Diniz Borges.

“A CPAC foi estabelecida para unir os eleitos luso-americanos da Califórnia e encorajar uma cooperação mais próxima em relação a causas comuns nas suas respectivas comunidades. Uma coligação similar na costa leste dos Estados Unidos está a ser planeada”, lê-se na declaração final.

Os políticos elogiam “a visão da FLAD” por promover encontros entre eleitos nos EUA e autoridades portuguesas, uma iniciativa que “encurtou a distância entre Portugal e os Estados Unidos”.

“Estes diálogos de legisladores têm sido muito eficazes na promoção das relações bilaterais entre os dois países e geraram um entendimento mais profundo da importância estratégica das alianças transatlânticas”, consideram.

Na edição deste ano, os políticos luso-americanos reuniram-se com vários membros do Governo (ministros dos Negócios Estrangeiros; da Economia; do Mar); com o presidente do PSD, Rui Rio; com o antigo primeiro-ministro e líder social-democrata Francisco Pinto Balsemão, e com o director do programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas, Rui Vieira Nery.

“Esperamos que estes diálogos tenham uma longa continuidade no futuro”, concluem os luso-americanos, na posição conjunta.

Notícias da Lusa editadas – Veja o álbum de fotografias do encontro no Facebook da FLAD clicando aqui.